x

Cuidados com Peixes de estimação

Escrito Por: text_none_author Publicado em: ROOT Data de Criação: 24/10/2017 Acessos: 235 Comentários: 0

Os peixes são bonitos, coloridos, quietos, comem pouco e a sujeira que fazem fica contida em um único local.

Esse parece o bicho de estimação ideal para muitos brasileiros, que os utilizam também de forma decorativa. Mas, se não tratados da forma correta, a sua vida pode ser encurtada drasticamente.

A boa notícia é que os cuidados de espécie para espécie são basicamente os mesmos. “O que muda, principalmente, é a parte nutricional. Afinal, alguns se alimentam na superfície, outros no meio e no fundo do aquário”, afirma Danyelli Ornelas, bióloga e gerente de produção da Megazoo. Logo, no caso de aquários comunitários, a ração deve ter flutuabilidade em níveis diferentes.

Alimentação dos peixes

Os peixes podem ter hábitos alimentares mais carnívoros ou herbívoros, no quesito de proteínas. Mas “nenhum animal é completamente herbívoro ou carnívoro, e um pouco de ambas as proteínas é importante para a sua nutrição”, explica a bióloga. Ainda, é importante atentar para as gorduras (ter entre 5% e 6% de extrato etéreo) e para o excesso de vitamina A, que também é tóxico para o peixe.

Além disso, “eles enxergam muito bem as cores, mas não é bom que ingiram uma ração com corantes artificiais, pois mancham muito a água e podem gerar alergias”, completa Danyelli. Também nunca deve sobrar ração no aquário. Quando isso acontece, é sinal de que o dono está oferecendo comida em excesso para o animal.

Cuidados com o aquário

O aquário deve ser montado de acordo com hábitos e tamanho dos peixes que viverão ali. No caso dos bettas, não há necessidade de um filtro, mas a água deve ser trocada por completo pelo menos uma vez por semana. “Se ela for trocada pela metade, uma hora ele vai acabar se intoxicando na amônia”, informa a bióloga Danyelli.

É importante também lavar todo o aquário, tratar a água com condicionador específico ou anticloro, e aguardar por aproximadamente uma hora antes de movê-lo de volta — para que ela fique em temperatura ambiente.

Já nos grandes aquários, é indispensável o uso de filtros, aquecedores, e até mesmo luz artificial de acordo com as espécies e tamanho do recipiente. Nesses casos, não se deve retirar a água por completo. Se for trocá-la toda a semana, deve se remover 1/4 do total e repor com a água tratada. Se preferir fazer esse processo a cada 15 dias, metade do líquido deve ser trocado.

Reprodução dos peixes

Falando em reprodução dos peixes, os bettas dão um show no quesito cuidado com os filhotes. O macho prepara várias bolhas, que sobem à superfície. Depois, ele abraça a fêmea, que libera os ovos. O macho os fecunda, e ela tem uma espécie de desmaio rápido. Nesse momento, ele, imediatamente, posiciona os ovos dentro das bolhas. Quando a futura mamãe “acorda”, tenta comer os ovos de que o macho está cuidando, e ele pode atacá-la. “Quando isso acontecer, é bom retirar a fêmea do aquário”, recomenda a bióloga Danyelli. E o “papai” vai acabar de cuidar dos filhotes.

Deixe um comentário

Captcha